Loading...

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

domingo, 18 de setembro de 2011

GABARITO 3° COLEGIAL CNEC Simbolismo


12. Simbolismo
Exercícios de sala
1) a) Duas características simbolistas no poema
são: o misticismo religioso e a musicalidade.
b) A musicalidade podemos ler no uso das figuras
de linguagem conhecidas por aliteração: “Em
violas e violoncelos”. Já o misticismo religioso
pode ser lido no vocabulário metafórico bíblico:
“pomba”, “cordeiro”, “cruz”.
2) a) Paralelismo.
b) O início de cada estrofe revela estrutura sintática
semelhante: “Eras a canção de outrora / Eras a
harmonia esparsa / Eras tudo, tudo quanto”.
3) a) Simbolismo.
b) Em “O vento passa, brando, brando...”, nota-se
a sonoridade típica dos simbolistas ou ainda em
“Escuto e vento assim passar...”, além da sonoridade,
nota-se a presença de elemento sensorial.
4) D 5) D 6) A 7) C 8) C 9) B 10) A
11) a) Descrição detalhada; uso de rimas ricas (com
palavras de classes gramaticais diferentes).
b) “... horror de uma lenda sombria” garante o
mistério típico do simbolismo; “Ouve-se, acaso,
então, vaguíssimo suspiro” presença de elemento
sensorial.
12) a) Uso de métrica rigorosa e de rimas ricas.
b) Excesso de sentimentalismo: “Morrerei de
aflição e de saudade...”
13) C
Exercícios propostos
14) E — C — C — E — C
15) E 16) C 17) E 18) C

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

RODADA DE PROVAS - CNEC (12/09)


MATÉRIAS DA RODADA DE PROVAS - CNEC (12/09)

1° - Dorian Gray
2° - Anjo Negro
3° - Realismo/Naturalismo/Parnasianismo

domingo, 4 de setembro de 2011

INTEGRAL - MATÉRIAS DO SIMULADO, PROVA ABERTA E SUBSTITUTIVA

Matéria do Simulado Integral
9° Literatura
Figuras de linguagem (antítese, paradoxo, metáfora, hipérbole, metonímia, catacrese, ironia, aliteração e eufemismo)

1° Literatura
Barroco (tudo)

1° Gramática
Todos os tipos de pronomes


Matéria da prova aberta

1° Gramática
Todos os tipos de pronomes

1° Gramática Substitutiva
Pronomes, Conjunções, Adjetivos e Preposições

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

GABARITO 3° COLEGIAL CNEC


PÁGINA 316 EM DIANTE (NÃO SEI SE O NÚMERO DAS QUESTÕES CONFERE)

12) As duas manifestações são contrárias às
idealizações românticas e procuram se aproximar
do cotidiano das pessoas, exatamente como
apontam o Positivismo e o Determinismo em voga
na época. Contudo, enquanto o Realismo busca
retratar as variadas realidades sociais por meio
de metáforas que expõem, preferencialmente, a
psicologia das personagens, o Naturalismo prefere
a observação externa e o registro direto das reações
humanas.
13) a) A primeira paixão de Brás Cubas foi Marcela,
descrita como bela e ambiciosa, enquanto lemos
o período do namoro. Quando o enredo avança,
descobrimos que ela é uma cortesã, que ficou com
Brás Cubas por seu dinheiro.
b) Trata-se de uma antiga empregada de Virgília,
que é contratada por Brás Cubas para cuidar
da casa da Gamboa e assim “acobertar” o caso
adúltero dos amantes protagonistas do romance.
O “nojo” será atenuado com o pagamento que lhe
é oferecido.
14) a) Lobo Neves é o marido de Virgília, que,
por sua vez, é amante de Brás Cubas. Além
disso, durante a narrativa, Brás Cubas insinua a
concorrência entre os dois também na política, de
onde sai derrotado.
b) Lobo Neves já havia recusado uma nomeação
— para o governo do Estado — por ter ocorrido
em um dia 13, já que era supersticioso.
c) A ironia é evidente quando o narrador atribui
profundidade às decisões impulsionadas por
algumas superstições.
15) a) O emplasto seria um remédio que, segundo
seu inventor, Brás Cubas, curaria a humanidade
de toda a hipocondria. Levaria o seu nome e por
isso lhe conferiria fama.
b) Brás Cubas encarna o típico representante da
elite que vive da fortuna familiar e é dessa forma
que Machado alfineta a hipócrita burguesia belle
époque de seu tempo.
16) a) Sim. O texto é um verdadeiro ataque
às concepções de herói dos românticos,
considerando-as ultrapassadas para o século XIX.
b) O Romantismo brasileiro, seguindo a fórmula
europeia, volta-se para o passado e busca na
história recuperar o herói nacional mais genuíno.
Para os europeus, o cavaleiro medieval serve de
modelo enquanto por aqui o índio será idealizado
e alçado à condição de herói brasileiro.
17) Pombinha não terá destino que não pudesse
ser previsto pelo determinismo ambiental. A
origem de Pombinha é o que determinará que ela
se transforme em prostituta.
18) a) Trata-se da animalização (ou zoomorfização)
da espécie humana. Típico recurso do Naturalismo.
b) “crina (cabelo) preta”, “como éguas selvagens”.
19) Machado de Assis se vale de um narrador
que expõe o processo de criação literária e, dessa
forma, rompe a barreira entre a ficção e a realidade.
Não o faz de forma direta e cria um ambiente
propício tanto às ilusões quanto às digressões mais
críticas, já que está morto e afastado de qualquer
compromisso mundano.
20) Apesar de se tratar da morte do filho do narrador,
Machado de Assis aproveita a oportunidade para
denunciar as hipocrisias das relações humanas ao
listar juntamente inscrição do túmulo, desenho
e despesas do enterro. Além disso, a frieza como
quer tratar do assunto se exibe no desfecho irônico:
Apesar de tudo, jantei bem e fui ao teatro.
21) A personalidade de Brás Cubas se encaixa
perfeitamente na descrição de brasileiro do
historiador Sérgio Buarque de Holanda. Sempre
que sente a oportunidade, Brás Cubas passa a tecer
digressões sobre os mais variados assuntos “sem
maiores dificuldades”.
22) B 23) D 24) C 25) B
Exercícios propostos
26) E 27) B 28) D 29) E 30) B 31) A
32) E 33) A 34) B